Jun 13, 2016

São José: Contemplar a Deus e viver confiando n´Ele


São José é um personagem muito interessante da história da salvação. Passa quase despercebido pelos Evangelhos, sem nunca pronunciar uma só palavra, mas possui o chamado e a vocação única de ser o custódio da Sagrada Família, ao que ele respondeu fielmente, enfrentando várias dificuldades exteriores, mas também problemas morais interiores. Confiando na Graça de Deus e vivendo uma intensa vida espiritual, São José completou sua missão e até hoje nos ensina a viver melhor a nossa.

Sobre ele existem várias meditações, homilias, e documentos oficiais da Igreja. De acordo com o santo Papa João Paulo II, essa atitude silenciosa de São José propiciou que “no decurso das gerações a Igreja lesse, de maneira cada vez mais atenta e mais cônscia este testemunho, como que tirando do tesouro desta insigne figura 'coisas novas e coisas velhas' (Mt 13, 52)”. Ou seja, com o passar do tempo, mais vamos nos adentrando naquilo que José nos mostrou com sua vida de amor fiel a Deus. São José "conjugou contemplação e ação, em uma espiritualidade da ação".

Nesse momento, gostaria de refletir brevemente sobre duas das várias características de São José: Em primeiro lugar a sua confiança em Deus e, em segundo, a sua vida espiritual, que de modo único conjugou contemplação e ação, em uma espiritualidade da ação.

Conhecemos a história de que Maria estava já grávida e José titubeou em recebê-la como sua esposa. Frente a esse quadro difícil, José recebeu a anunciação do Anjo: "Não temas receber Maria, tua esposa pois o que nela se gerou é obra do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados" (Mt 1, 20-21). E foi o que ele fez com prontidão.

Mas não passemos por alto essa atitude. Procuremos interiorizar o tamanho do salto de fé que esse homem foi chamado a dar. Em sonho foi avisado que sua esposa estava grávida do Espírito Santo. Não é fácil acreditar nisso, talvez se tentarmos nos colocar como receptores dessa mensagem, possamos ter ideia de como seria a nossa reação. O então Papa Bento XVI não teve dúvidas em afirmar em uma homilia: “Na história, José é o homem que deu a Deus a maior prova de confiança, precisamente face a um anúncio tão assombroso”.

Isso serve para nós hoje, afinal, como diz o santo Papa João Paulo II: “Por que motivo quis São Mateus anotar esta fidelidade às palavras recebidas do mensageiro de Deus, senão para nos convidar a imitar esta fidelidade cheia de amor?”

A espiritualidade da ação

No documento Redemptoris Custos, o santo Papa João Paulo II nos faz ver uma realidade muito bonita quando fala da vida interior de São José. Se na vida do cristão estão presentes dois momentos, o da contemplação e o da ação, no santo custódio vemos isso claramente. Em que consiste a contemplação senão em ver Jesus, que é o próprio Deus? E que ocasião para o ver tinha São José todos os dias, enquanto o via crescer sob seu teto. Frutos dessa visão de Deus, cada vez mais profunda, eram todas as atividades diárias de São José, seu trabalho, seu cuidado familiar, suas responsabilidades como Pai de família.

Que São José interceda sempre por nós e que nos ajude a viver cada vez melhor essa atitude de confiança total em Deus, mesmo quando as coisas parecem impossíveis. E que nossa vida espiritual seja de uma intensa contemplação de Deus, que nutra todas as nossas atividades diárias.

Ir. João Antônio Johas Leão

 

 

Referência:

A12. Disponível em  http://www.a12.com/. Acesso em: 12  junho 2016

Entre para postar comentários

Paróquia Santa Rita de Cássia